quarta-feira, 16 de julho de 2008

Cidade-fantasma



Percorrer as ruas do centro histórico de Braga depois das 20h00 é uma experiência perturbadora, sobretudo por ser muito solitária. O espaço urbano ganha outra dimensão quando está praticamente vazio. Os edifícios continuam os mesmos, só que sem réstia de vida. E isso faz toda a diferença.

Edifício do Castelo reflectido na montra da Tintoretto.
Braga.
15 de Julho. 20h56.
@ Luísa Teresa Ribeiro

2 comentários:

Carla Cerqueira disse...

Fizeste-me lembrar das aldeias...com paisagens verdejantes, flores de todas as cores...mas casas vazias. É triste...a vida já passou por aqueles lugares que agora parecem estáticos, tristes...Que nostalgia dos tempos em que brincava na casa dos meus avós com outras crianças...Hoje já não oiço o choro ou as risadas delas porque os pais foram embora...poucas são as sementes que ficam naqueles locais paradisíacos!

Dario Silva disse...

Welcome to Braga Central, o seu parque subterrâneo durante o dia e vazio durante a noite.